SINDICATO E PROFISSIONAIS DA SAÚDE PEDEM RESPEITO E VALORIZAÇÃO DA CATEGORIA

postado em: Notícias | 0

   Profissionais da Saúde, pela extraordinária contribuição que dão à vida e ao bem-estar de toda população, merecem, sempre, nossa gratidão, respeito e valorização.

                Em tempos de pandemia como estamos vivendo, nossa gratidão, respeito e valorização deveria ser ainda maior.

                Mas não é isso que a Administração Municipal de Chapecó tem demonstrado.

                No começo da pandemia, no dia 27 de março, através do Decreto 38.720, o Prefeito Municipal estendeu o horário de atendimento da saúde pública municipal à população, das 7h às 19h, combinado com turnos de trabalho dos Profissionais da Saúde de 6 horas diárias.

                No dia 13 de abril, com o Decreto 38.759 estabeleceu o horário de expediente das 9h às 15h aos Centros de Saúde da Família que possuem somente 01 (uma) Equipe de Estratégia de Saúde da Família – ESF e o Ambulatório de Lesões da Pele.

            Foi com essa estratégia, com a jornada de trabalho de 6 horas diárias e o atendimento à população estendido das 7h às 19h que Chapecó enfrentou a pandemia.

            Essas medidas estavam justificadas nas implicações da pandemia, na demanda de distanciamento social e atendimento da população, no risco de contaminação dos Profissionais da Saúde e suas famílias – considerando a necessidade de higienização na entrada e saída da unidade de saúde e da residência, justificando o turno único de 6 horas. Os Profissionais da Saúde organizaram suas vidas e atuaram de forma muito engajada e corajosa no enfrentamento da pandemia.

            Porém, depois das eleições e de 9 meses de uma rotina de enfrentamento da pandemia, apesar da sua continuidade e implicações, de forma autoritária, sem diálogo com a categoria, no dia 23 de novembro, o Prefeito Municipal publicou o Decreto 39.572, reduzindo o atendimento à população, das 7h às 19h,  para das 7:30h às 11:30h e das 13h às 17h, e, alterando a organização da vida profissional e familiar dos Profissionais da Saúde, passando do turno único de 6 horas diárias para dois turnos e 8 horas diárias, impondo a saída e retorno à residência por duas vezes ao dia.            

            Diante da insatisfação da categoria, o Sindicato promoveu um abaixo-assinado eletrônico pedindo a manutenção da jornada de 6 horas diárias, com a participação de 549 Profissionais da Saúde que assinaram e manifestaram à Administração Municipal porque o correto e o justo seria a manutenção das 6 horas diárias.

            No dia 30 de novembro o sindicato protocolou o abaixo assinado-assinado ao Prefeito e à Secretária da Saúde. A resposta reafirmou que o Decreto não seria alterado.

            Diante da intransigência e pouca consideração da Administração Municipal com os Profissionais da Saúde, o Sindicato realizou uma campanha no dia 04 de dezembro, em 5 emissoras de rádio de Chapecó, totalizando 53 anúncios entre 7h e 19h, denunciando a postura da Secretaria da Saúde, cobrando atitude das pessoas e dos governos no combate da pandemia e pedindo valorização aos Profissionais da Saúde.

            Precisamos fortalecer a luta pela valorização dos Profissionais da Saúde. Participe do Sindicato e juntos vamos cobrar a valorização profissional, social e salarial.    

 

Confira os documentos:

13.04.2020-Decreto-38759-2020-6h-1-Eq.-CSF

27.03.2020-Decreto-38720-2020-Pandemia

30.11.2020-Protocolo-PMC-e-SS-do-abaixo-assinado-da-categoria

30.11.2020-Resposta-Abaixo-Assinado-8-horas-da-Saúde

 

Minuto Sindical:

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

nove − dois =